Dor Lombar

Se você está sofrendo de dor lombar, você não está sozinho. Um estimado

de 75 a 80% da população americana irá sofrer de alguma forma de dor nas

costas durante sua vida. Embora a dor lombar possa ser um pouco debilitadora

e dolorosa, em cerca de 90% dos casos a dor melhora sem cirurgia. Contudo,

50% dos pacientes que sofrem de um episódio de dor nas costas terão um

episódio recorrente em um período de um ano.

 

A Coluna Lombar

A coluna lombar está formada por cinco vértebras na parte inferior da coluna

entre as costelas e a pélvis. Os ossos (vértebras) que formam a coluna nas

suas costas estão amortecidas por pequenos discos. Esses discos são redondos

e achatados, com uma camada exterior resistente (ânulo fibroso) que circunda

um material gelatinoso chamado núcleo.

 

Localizados entre cada uma das suas vértebras na coluna, os discos agem

como amortecedores para os ossos da coluna. Uns ligamentos grossos ligados

às vértebras mantêm o material pulposo do disco no lugar. Dos 31 pares de

nervos espinhais e raízes, cinco pares de nervos lombares (L1-L5) e cinco

sacrais (S1-S5) se conectam no início da região lombar (parte inferior das

costas).

 

Causas comuns de Dor Lombar

Hérnia de Disco

Estenose Espinhal Lombar

Osteoartrite

 

Diagnosticando a sua Dor Lombar

O diagnóstico é feito por um neurocirurgião baseado no seu histórico, sintomas, exame físico e os resultados de estudos de diagnóstico, se necessário. Alguns pacientes podem ser tratados de forma conservativa e depois fazer estudos por imagem se a medicação e a fisioterapia não são efetivas. Estes estudos podem incluir:

  • Tomografia Computadorizada (TC)

  • Discografia

  • Eletromiografia (EMG)

  • Estudos de Condução Nervosa (ECN)

  • Imagem por Ressonância Magnética (IRM)

  • Mielograma

  • Bloqueio Seletivo de Raízes Nervosas

  • Raios-X

 

Opções de Tratamento Conservativo (não-cirúrgico)

As opções de tratamento incluem fisioterapia, exercícios para as costas, redução de peso, injeção de esteroides (esteroides epidurais), medicação não-esteroide anti-inflamatório, reabilitação e atividade limitada. Todos estes tratamentos têm o objetivo de aliviar a inflamação nas costas e a irritação das raízes nervosas. Os clínicos usualmente recomendam de quatro a seis semanas de terapia conservativa antes de considerar a cirurgia.

Se a dor lombar ocorrer após uma lesão recente – tais como um acidente de carro, uma queda ou uma lesão esportiva – você deve contatar seu clínico geral imediatamente. Se houver algum sintoma neurológico, você deve procurar cuidados médicos imediatamente. Se não houver problemas neurológicos (tais como entorpecimento, enfraquecimento, disfunção da bexiga e intestino), você pode se beneficiar começando o tratamento conservativo em casa por dois ou três dias. Você pode tomar medicação anti-inflamatória como aspirina ou ibuprofeno e reduzir as atividades ativas por alguns dias.

Se a dor lombar piorar ou não melhorar após dois ou três dias do tratamento em casa, contate um clínico geral. O médico pode avaliar você e realizar um exame neurológico no escritório para determinar quais raízes nervosas estão irritadas, assim como descartar outras condições médicas sérias. Se houver sinais claros de que a raiz nervosa está sendo comprimida, seu médico pode prescrever medicação para aliviar a dor, o inchaço e a irritação, ele pode também recomendar a redução de atividades. Se essas opções de tratamento não fornecerem alívio em duas semanas, pode ser o momento de considerar outros estudos de diagnóstico e, possivelmente, cirurgia.

 

Quando a Cirurgia é Necessária

Quando o tratamento conservativo para a dor lombar não fornece alívio, a cirurgia pode ser necessária. Você pode ser um candidato para a cirurgia se:

  • A dor nas costas e nas pernas limitam a atividade normal ou prejudica a sua qualidade de vida;

  • Você desenvolve deficiências neurológicas progressivas, tais como enfraquecimento ou entorpecimento das pernas;

  • Você sofre perda das funções normais da bexiga e do intestino;

  • Tem dificuldade ao ficar em pé ou andar;

  • A medicação e a fisioterapia não são mais efetivas; e

  • Você apresenta bom estado de saúde geral.

Se a cirurgia é recomendada, o neurocirurgião tem uma variedade de opções disponíveis para ajudar a aliviar a pressão nas raízes nervosas. Se houver várias raízes nervosas e discos causando dor ou se houver degeneração e instabilidade da coluna vertebral, o neurocirurgião pode optar por fusionar as vértebras com enxertos ósseos e estabilizar as vértebras com instrumentos, incluindo placas metálicas, parafusos, hastes e armações. Uma fusão bem sucedida evita que o disco se inche ou faça hérnia novamente. Seguido do procedimento da fusão, um paciente pode recuperar a mobilidade nas costas, incluindo a habilidade de se curvar. O paciente provavelmente irá experimentar mais mobilidade após a cirurgia. Adicionalmente, pode ser solicitada fisioterapia pós-operativa.

Os benefícios da cirurgia devem ser sempre ponderados cuidadosamente com seus riscos. Embora uma grande percentagem de pacientes com dor lombar relate alívio significativo da dor após a cirurgia, não há garantia de que a cirurgia ajudará todos os pacientes.

Fonte: American Association Neurological Surgeons - www.aans.org

Porto Velho: Rua Rafael Vaz e Silva, 1663, N. Senhora das Graças, Porto Velho - RO, CEP: 76804-140

Rio Branco: Rua Hugo Carneiro, 725 - 1ª sala 678, Bairro Bosque, CEP: 69.900-550. Fones: (68) 3222-7900 / 99917-8852