Dor no Pescoço

A coluna cervical

O seu pescoço é parte de uma coluna comprida e flexível conhecida como a coluna vertebral, que se estende ao longo da maior parte do seu corpo. A coluna cervical (região do pescoço) está composta por sete ossos (vértebras C1-C7), que estão separadas umas das outras por discos intervertebrais. Estes discos permitem a movimentação livre da coluna e fazem o papel de amortecedores durante atividades físicas.

Ligado à parte traseira de cada corpo vertebral, há um arco de osso que forma um espaço oco longitudinal contínuo, que corre por todo o comprimento das suas costas. Este espaço, chamado canal espinhal, é a área pela qual passam a medula espinhal e os feixes de nervos. A medula espinhal é banhada em líquido cefalorraquidiano (LCR) e circundada por três camadas protetoras chamadas meninges (dura, aracnoide e pia mater).

A cada nível vertebral, um par de nervos espinhais saem por pequenas aberturas chamadas forames (um para a esquerda e um para a direita). Esses nervos servem os músculos, a pele e os tecidos do corpo proporcionando sensação e movimento a todas as partes do corpo. A delicada medula espinhal e os nervos são ainda suportados por fortes músculos e ligamentos ligados às vértebras.

Causas comuns de Dor no Pescoço

Você pode ter sido reencaminhado a um neurocirurgião devido a sua dor no pescoço ou ombro, ou formigamento e entorpecimento nos seus braços. Você também pode ter sofrido enfraquecimento nos seus braços ou mãos.

A dor no pescoço pode ser causada por degeneração de disco, estreitamento do canal espinhal, artrite e, em casos raros, câncer ou meningite. Para problemas sérios no pescoço, um clínico geral e, comumente, um especialista tal como um neurocirurgião, devem ser consultados para fazer um diagnóstico preciso e prescrever tratamento.

Você deve consultar um neurocirurgião para tratar a dor no pescoço se:

  • Ocorre após uma lesão ou um golpe na cabeça;

  • Febre ou dores de cabeça acompanham a dor no pescoço;

  • Torcicolo impede que você toque seu peito com seu queixo;

  • A dor desce por um braço;

  • Há formigamento, entorpecimento ou enfraquecimento nos seus braços ou mãos;

  • Há sintomas no pescoço associados com enfraquecimento das pernas ou perda de coordenação dos braços ou pernas;

  • Sua dor não melhora com medicação sem prescrição para a dor; e

  • A dor não melhora após uma semana.

 

A idade, lesão, postura pobre, ou doenças tais como artrite podem conduzir à degeneração dos ossos ou juntas da coluna cervical, causando hérnia de disco ou formação de esporões ósseos. Uma lesão severa repentina no pescoço também pode contribuir com uma hérnia de disco, golpe de chicote, destruição dos vasos sanguíneos, lesão vertebral, e, em casos extremos, paralisia permanente.

 

Hérnias de disco ou esporões ósseos podem causar um estreitamento do canal espinhal ou das pequenas aberturas pelas quais as raízes nervosas saem. A pressão em uma raiz nervosa causada por uma hérnia de disco ou um esporão ósseo podem resultar em:

  • Dor no braço e no pescoço;

  • Entorpecimento e enfraquecimento do braço ou antebraço; e

  • Formigamento nos dedos ou mão.

 

A pressão na medula espinhal na região cervical pode ser um problema muito sério, pois virtualmente todos os nervos do resto do corpo tem que passar através do pescoço para alcançar seu destino final (braços, peito, abdômen, pernas). Esta situação pode comprometer potencialmente a função de muitos órgãos importantes.

 

Estenose Cervical

A estenose cervical ocorre quando o canal se estreita e comprime a medula espinhal e é mais frequentemente causada pelo envelhecimento. Os discos na coluna que separam e amortecem as vértebras podem secar. Como resultado, o espaço entre as vértebras diminui, e os discos perdem sua habilidade de amortecer. Ao mesmo tempo, os ossos e os ligamentos que conformam a coluna se tornam menos flexíveis e engrossam.

Estas alterações resultam no estreitamento do canal espinhal. Adicionalmente, as alterações degenerativas associadas com estenose cervical pode afetar as vértebras contribuindo com o crescimento de esporões ósseos que comprimem as raízes nervosas. A estenose moderada pode ser tratada de forma conservativa por longos períodos de tempo, sempre que os sintomas estejam limitados a dor no pescoço. A estenose severa requere encaminhamento a um neurocirurgião.

Lesão no pescoço

As lesões no pescoço podem ocorrer durante acidentes de carro, outros eventos traumáticos, ou esportes. Os sintomas dessas lesões incluem rigidez no pescoço ou torcicolo, dor no ombro ou braço, dor de cabeça, dor no rosto e tontura. A dor de uma lesão de um acidente veicular pode ser causada por lesões nos músculos ou lesões nas juntas entre as vértebras. Outras causas de dor são rupturas nos ligamentos ou danos no disco. O tratamento conservativo dessas lesões inclui medicação para a dor, repouso, redução de atividade física e fisioterapia.

Diagnóstico da Dor no Pescoço

O diagnóstico é feito por um neurocirurgião baseado no seu histórico, sintomas, um exame físico e no resultado de estudos de diagnóstico, se for necessário. Alguns pacientes podem ser tratados de forma conservativa e depois passar por estudo de imagem se a medicação e a fisioterapia não forem efetivas. Estes exames podem incluir:

  • Tomografia Computadorizada (TC)

  • Discografia

  • Electromiografia (EMG)

  • Estudos de Condução Nervosa (ECN)

  • Imagens por Ressonância Magnética (IRM)

  • Mielograma

  • Bloqueio Seletivo de Raízes Nervosas

  • Raios-X

 

Opções de Tratamento Conservativo (não-cirúrgico)

Determinar a estratégia de tratamento depende principalmente da identificação da localização e causa da raiz nervosa irritada. Embora a dor no pescoço pode ser um pouco debilitadora e dolorosa, o tratamento não-cirúrgico pode aliviar muitos sintomas. Seu médico pode prescrever medicação para reduzir a dor ou a inflamação, e relaxante muscular para dar tempo para que a cicatrização ocorra.

 

Reduzir as atividades físicas ou usar um colar cervical pode ajudar fornecendo suporte à coluna, reduzindo a mobilidade e diminuindo a dor e a irritação. Uma injeção pontual, incluindo corticoesteroides, podem aliviar a dor temporariamente. Ocasionalmente, esteroides epidurais podem ser recomendados. As opções de tratamento conservativo podem continuar por até oito semanas.

Se você está sofrendo algum enfraquecimento ou entorpecimento nos seus braços ou pernas, você deve procurar seu médico. Se você teve algum trauma e agora sofre com dor no pescoço com enfraquecimento ou entorpecimento, você deve consultar um neurocirurgião.

Quando a Cirurgia é Necessária

Há diversos tratamentos cirúrgicos disponíveis para tratar distúrbios da coluna cervical. Os fatores que ajudam a determinar o tipo de tratamento cirúrgico incluem as especificações da sua doença de disco e a presença ou ausência de pressão na medula espinhal ou raízes nervosas. Outros fatores incluem a sua idade, quanto tempo você vem sofrendo com a doença, outras condições médicas que você possa ter, e se você já teve um procedimento cirúrgico na coluna cervical.

Quando o tratamento conservativo para a dor no pescoço não fornece alivio, a cirurgia pode ser necessária. Você pode ser um candidato para cirurgia se:

  • A terapia conservativa não ajuda;

  • Você sofre sintomas neurológicos progressivos envolvendo seus braços e pernas;

  • Você tem dificuldades para ficar em pé ou ao andar; e

  • Você tem um estado de saúde geral bom.

 

Existem diferentes procedimentos cirúrgicos que podem ser utilizados, a escolha de qual é o adequado é influenciada pela severidade do seu caso. Em uma pequena percentagem de pacientes, a instabilidade espinhal pode requerer que a fusão espinhal seja realizada, uma decisão que é geralmente determinada prévio à cirurgia.  A fusão espinhal é uma operação que cria uma união sólida entre duas ou mais vértebras. Diferentes dispositivos (como parafusos e placas) podem ser usados para facilitar a fusão e para dar suporte às áreas instáveis da coluna cervical. Este procedimento pode auxiliar no fortalecimento e estabilização da coluna e pode, portanto, ajudar a aliviar a dor severa e crónica do pescoço.

Se você fuma, deve desistir. Fumar danifica as estruturas e arquitetura da coluna, assim como diminui o processo de cicatrização. Se você tem sobrepeso, deve tentar perder peso. Ambos fatores, fumar e obesidade, têm demonstrado ter um impacto negativo no resultado da cirurgia de fusão espinhal.

Os benefícios da cirurgia sempre devem ser ponderados cuidadosamente contra os riscos. Embora uma grande percentagem de pacientes com dor no pescoço relate melhora significativa da dor após a cirurgia, não há garantia de que a cirurgia ajudará todos os pacientes.

Fonte: American Association Neurological Surgeons - www.aans.org

Porto Velho: Rua Rafael Vaz e Silva, 1663, N. Senhora das Graças, Porto Velho - RO, CEP: 76804-140

Rio Branco: Rua Hugo Carneiro, 725 - 1ª sala 678, Bairro Bosque, CEP: 69.900-550. Fones: (68) 3222-7900 / 99917-8852