Osteoartrite

 

A osteoartrite, também conhecida como artrose, é o tipo de artrite mais comum e afeta mais frequentemente pessoas a partir dos 40 anos de idade. Pode causar uma separação da cartilagem nas articulações e ocorre em praticamente qualquer articulação do corpo. Afeta com frequência o quadril, os joelhos, as mãos, a coluna lombar e o pescoço. A cartilagem é um material firme de borracha que cobre as extremidades dos ossos em articulações normais. Serve como um tipo de amortecedor, ajudando a reduzir a fricção nas articulações.

Quando a osteoartrite afeta a coluna, é conhecida como espondilose. A espondilose é um distúrbio degenerativo que pode causar a perda da estrutura e função normal da coluna. Embora o envelhecimento é a causa primária, a localização e a taxa de degeneração varia de pessoa a pessoa. A espondilose pode afetar as regiões cervical, torácica e/ou lombar, com o envolvimento dos discos intervertebrais e as juntas de facetas. Isto pode levar à degeneração de disco, formação de esporões ósseos, compressão de nervos e alargamento ou supercrescimento dos ossos, resultando no estreitamento do canal central e das raízes nervosas, causando dor e função prejudicada.

Quando a espondilose afeta a coluna lombar, normalmente várias vértebras acabam envolvidas. Uma vez que a coluna lombar carrega a maior parte do peso do corpo, atividades ou longos períodos de inatividade podem provocar sintomas. Alguns movimentos específicos, como se sentar por períodos de tempo prolongados, se levantar e se flexionar podem aumentar a dor.

Quando a espondilose piora, o paciente pode desenvolver estenose espinhal – estreitamento dos espaços da coluna – que resulta na pressão da medula espinhal e/ou das raízes nervosas. O estreitamento pode afetar uma área pequena ou grande da coluna. Uma pressão na parte superior da medula espinhal pode produzir dor ou entorpecimento nos ombros e braços. Uma pressão na parte inferior da medula espinhal ou nas raízes nervosas que se ramificam dessa área, pode causar dor ou entorpecimento nas pernas.

A espondilolistese degenerativa (deslizamento de uma vértebra sobre outra) é causada pela osteoartrite das juntas de faceta. Mais comumente, envolve o deslizamento da vértebra L4 sobre a L5, e afeta mais frequentemente pessoas com 50 anos de idade ou mais. Os sintomas podem incluir dor na região lombar, nas coxas e/ou nas pernas, espasmos musculares, enfraquecimento e/ou tensão nos músculos isquiossurais.

 

Incidência e Predomínio

  • A osteoartrite afeta cerca de 27 milhões de pessoas nos Estados Unidos;

  • Para 2030, 20% dos Americanos, ou cerca de 70 milhões de pessoas com 65 anos ou mais, estarão em risco de sofrer osteoartrite;

  • 50% das pessoas com 65 anos ou mais mostram evidência de osteoartrite em pelo menos uma articulação em estudos de raios-X; e

  • A osteoartrite é mais predominante em homens com 45 anos de idade ou menos, mas predomina em mulheres com 50 anos ou mais.

 

Sintomas

  • Dor e rigidez no pescoço ou coluna lombar;

  • Dor que se irradia para o ombro ou pelo braço;

  • Enfraquecimento ou entorpecimento em um ou os dois braços;

  • Dor ou rigidez matinal que dura cerca de 30 minutos devido à inatividade;

  • Dor que piora durante o dia devido à atividade; e

  • Limitação de movimento.

 

Causas

Enquanto a causa da osteoartrite é desconhecida, os seguintes fatores podem aumentar o risco de desenvolver a condição:

  • Idade;

  • Herança;

  • Excesso de peso;

  • Lesão na articulação;

  • Lesão no nervo;

  • Uso excessivo e repetitivo de articulações específicas; e

  • Falta de atividade física.

 

Diagnóstico

Um diagnóstico usualmente pode ser feito baseado em sintomas específicos, um exame físico completo e resultados de raios-X. Em alguns casos, uma imagem por ressonância magnética (IRM) pode ser solicitada para determinar a extensão do dano na coluna. Uma IRM pode revelar a cartilagem danificada, perda do espaço da articulação ou esporões ósseos.

Tratamento não-cirúrgico

  • Medicação antiinflamatória para reduzir o inchaço e a dor, e analgésicos para aliviar a dor. A maioria das dores podem ser tratadas com medicação sem prescrição, mas caso a dor seja severa ou persistente, seu médico pode recomendar medicação com prescrição;

  • Injeções epidurais de cortisona podem ser receitadas para ajudar a reduzir o inchaço. Este tratamento não é recomendado de forma repetitiva e usualmente fornece alívio temporário;

  • Fisioterapia e/ou exercícios estabelecidos podem ajudar a estabilizar sua coluna, construir sua resistência e aumentar a sua flexibilidade. A terapia pode ajudar retomar seu estilo de vida e atividades normais. Ioga pode ser efetiva para algumas pessoas para ajudar com os sintomas; e

  • Manter um peso apropriado é crucial para o manejo efetivo da osteoartrite. Excesso de peso é um fator de risco para a osteoartrite.

 

O tratamento cirúrgico para a espondilose não é comum, a menos que a condição tenha progredido para uma estenose espinhal severa. A cirurgia pode ser recomendada caso as opções de tratamento conservativo, tais como fisioterapia e medicação, não reduzam ou acabem com a dor, ou caso a dor prejudique muito as funções diárias da pessoa. Assim como em qualquer cirurgia, a idade do paciente, o estado geral de saúde e outros fatores devem ser avaliados quando a cirurgia for considerada.

Fonte: American Association Neurological Surgeons - www.aans.org

Porto Velho: Rua Rafael Vaz e Silva, 1663, N. Senhora das Graças, Porto Velho - RO, CEP: 76804-140

Rio Branco: Rua Hugo Carneiro, 725 - 1ª sala 678, Bairro Bosque, CEP: 69.900-550. Fones: (68) 3222-7900 / 99917-8852