Prótese de Disco Cervical

A prótese de disco cervical PRESTIGE®, um produto da Medtronic, é a primeira e única prótese de disco aprovado nos Estados Unidos pela Food and Drug Administration (Administração de comidas e remédios – FDA) para uso na coluna cervical, desde Julho de 2007. O disco PRESTIGE é indicado para a artroplastia vertebral em pacientes adultos com doenças degenerativas do disco cervical entre os níveis C3 e C7, para radiculopatia e/ou mielopatia intratável. É um dispositivo de aço inoxidável com um design “bola e calha” (ball-in-trough), mantido no lugar com parafusos nos ossos adjacentes.

A prótese de disco cervical BRYAN®, também um produto da Medtronic, tem sido submetido a ensaios clínicos, e atualmente está avançando nos diferentes painéis de discussões exigidos pela FDA antes da aprovação. Em geral, o processo prévio à aprovação pode levar vários anos.

 

Cirurgia de Prótese de Disco

Atualmente, a forma mais comum de cirurgia para o tratamento de doenças degenerativas do disco cervical é a disectomia cervical anterior com fusão (DCAF). Mais de 200.000 procedimentos cervicais são realizados cada ano nos Estados Unidos para aliviar a compressão na medula espinhal ou nas raízes nervosas. A cirurgia da fusão colunar cria uma união sólida entre duas ou mais vértebras para ajudar a fortalecer a coluna e aliviar a dor crónica no pescoço. Há muitos tipos de cirurgia de fusão vertebral, assim como vários instrumentos utilizados para fixar a fusão.

Os objetivos da cirurgia de prótese de disco cervical são:

1) Remover o disco doente;

2) Restaurar a altura normal do disco;

3) Diminuir a dor de pescoço relacionada aos discos e dor/fraqueza do braço associado;

4) Preservar o movimento no segmento vertebral associado; e

5) Melhorar a função do paciente. Em comparação com a cirurgia de fusão colunar, os benefícios potenciais da tecnologia da prótese de disco pode incluir mais mobilidade da coluna após a cirurgia e menor pressão nos discos adjacentes. Enquanto as próteses de discos cervicais têm mostrado preservar o movimento no segmento operado na maioria dos pacientes, sua eficácia na redução de problemas sintomáticos de discos adjacentes ainda não foi determinada.

Para ser considerado candidato para uma prótese de disco, o paciente de cumprir os seguintes critérios:  

  • Degeneração do disco em apenas um disco na coluna cervical.

  • Um mínimo de seis meses de tratamento conservativo, tais como fisioterapia, medicação para a dor, suporte para o pescoço, sem mostrar melhoras.

  • Bom estado de saúde geral sem sinais de infecção, osteoporose, artrite ou osteomalacia.

  • Não ter alergia conhecida ao aço inoxidável.

 

Se você tem algum tipo de degeneração afetando mais de um disco, instabilidade segmentar, qualquer tipo de doença nos ossos, seja metabólica ou hereditária/adquirida, você não pode ser candidato para este tipo de cirurgia. Esta cirurgia não é recomendada para pacientes que tem passado por procedimentos cirúrgicos/de fusão colunar prévios no mesmo nível cervical ou nas adjacências.

Durante a cirurgia, o paciente passa por anestesia geral e uma pequena incisão é feita na parte frontal do pescoço. Através desta abertura, o disco afetado é removido e substituído. O tempo médio de internação pós-operatória é de 1 a 2 dias. Embora uma prótese de disco cervical similar tenha sido usada na Europa desde 2004, há pouca informação disponível em relação ao número de cirurgias realizadas até hoje.

 

Complicações Potenciais

Danos na medula espinhal ou nos nervos;

Desenvolvimento ou progressão de doenças em outros níveis cervicais;

Dor ou desconforto;

Dormência ou formigamento nas extremidades;

Efeitos colaterais de paralisia devido à anestesia;

Estado mental alterado;

Implantes que se dobram, quebram, se soltam ou se movem;

Infecção;

Morte;

Necessidade de uma cirurgia adicional;

Perda do movimento no nível cervical tratado;

Problemas na incisão;

Problemas nos vasos sanguíneos diferentes do sangramento;

Reação alérgica aos materiais de implante;

Rompimento da dura-máter (membrana que cobre a medula espinhal).

Sangramento: pode exigir uma transfusão de sangue; e

Vazamento do fluido espinhal (líquido cefalorraquidiano);

 

Resultado

Alguns dos riscos potenciais da cirurgia de prótese de disco são comuns a outros tipos de cirurgia, em particular cirurgias da coluna. Embora alguns pacientes que passaram por cirurgias de fusão vertebral precisarem de cirurgias de revisão, eles geralmente apresentam menos problemas do que aqueles que passam por cirurgia de prótese de disco. Há muita discussão na comunidade médica em relação à eficácia da cirurgia de prótese de disco cervical.

No maior estudo de ensaio clínico já realizado na coluna cervical envolvendo 541 pacientes, os resultados demonstraram que a prótese PRESTIGE tem respostas comparáveis aos tratamentos padrões atuais de fusão vertebral.

Como parte das condições de aprovação da FDA, a Medtronic concordou em realizar um estudo de pós-aprovação, após sete anos, para avaliar a segurança e efetividade a longo prazo da prótese. A Medtronic também realizará um estudo de monitoramento criterioso de cinco anos.

Ligas metálicas implantadas liberam íons metálicos no corpo (especialmente aqueles dispositivos com superfícies articuladas metal-sobre-metal). Os efeitos a longo prazo destes íons na medula são atualmente desconhecidos. O monitoramento dos pacientes a longo prazo é essencial para avaliar de forma apropriada a efetividade e segurança da cirurgia de disco em comparação com a cirurgia de fusão vertebral. Enquanto a prótese de disco é inovadora, novas tecnologias estão em desenvolvimento e podem ter o potencial de melhorar esta técnica cirúrgica.

Fonte: American Association Neurological Surgeons - www.aans.org

Porto Velho: Rua Rafael Vaz e Silva, 1663, N. Senhora das Graças, Porto Velho - RO, CEP: 76804-140

Rio Branco: Rua Hugo Carneiro, 725 - 1ª sala 678, Bairro Bosque, CEP: 69.900-550. Fones: (68) 3222-7900 / 99917-8852